Você já se perguntou, quantas vezes:

 

“Qual é o sentindo da minha vida?”

 

“Por que estou aqui passando por mudanças?”

 

E neste momento, o apelo do coração para saber a resposta, já é o indicador de que existem respostas, por mais veladas que possam parecer.

 

Temos a tendência de acreditar que existem pessoas, especialistas, em algum lugar do planeta, que nos responda sobre o mistério de nossa vida mutável.

 

Sábias são as palavras do oráculo de Delfos: “Conhece-te a ti mesmo”!

 

Essa história sufi, fala sobre especialistas:

 

“Parece que um homem dado como morto, começou a bater no caixão. As pessoas levantaram a tampa do ataúde e o homem perguntou: “ O Que vocês estão fazendo? Eu não estou morto”!  Depois de um momento de silêncio, uma pessoa do grupo disse: “ Os médicos e sacerdotes declararam que você está morto. Portanto está morto”.  E imediatamente o enterram.

 

A maioria de nós repete a verdade, muito antes de viver a verdade.

 

O fato de reconhecer uma verdade não significa que o eu, velho e programado, solte a coroa do ego. Mas com o tempo e o comprometimento pela busca da verdade, ele o fará.

 

Quando o mistério do eu começa a ser revelado, pouco importa saber quão universal é uma revelação, pois ela traz toda a alegria temerosa que sentimos com o renascimento do eu verdadeiro.

 

“Procura e encontrarás”. Essa é a chave-mestra.

 

A dinâmica desta lei de energia é a atração.

 

O desejo de compreender dá início ao processo de movimentar forças poderosas e as respostas começam a chegar aos poucos.

 

O fato é que, simplesmente, estamos movimentando isso, inconscientemente, sem compreender a poderosa lei de atração. Estamos criando a nossa realidade o tempo todo.

 

Agora podemos fazer isso intencionalmente.

 

Vamos desenvolver reflexões sobre a lei da atração nos próximos artigos.

 

Até lá!

Pin It on Pinterest

Share This