Brincar e apreciar o fazer artístico são algumas das atividades que as crianças mais gostam de realizar.

Respeitar o ritmo da criança, entendo as fases de seu desenvolvimento, é fundamental para contribuir com “alimentos” que fortaleçam sua criatividade, flexível e espontânea por natureza.

Identificar e promover mudanças em ambientes e comportamentos inibidores da criatividade infantil é de grande importância.

As crianças gostam do ambiente escolar, desde a educação da primeira infância até o segundo ano do ensino fundamental. Quando chegam ao terceiro e quartos anos já não sentem o mesmo prazer com a própria criatividade.

A Teresa Amabile, doutora em psicologia pela Universidade de Stanford, identificou sete atitudes inibidoras da criatividade:

1- Vigilância: sob observação constante a criança deixa de assumir riscos, o impulso criativo se retrai.

2- Avaliação: foco vai para o julgamento que está sendo realizado sobre ela.

3- Recompensas: em excesso privam a criança do prazer da própria atividade criativa.

4- Competição: causa desespero em vencer ou perder, quando a competição não é saudável.

5- Controle excessivo: a criança passa a sentir que ser original é um erro e explorar novas possibilodades é perda de tempo.

6- Restrição de escolhas: bloqueia a capacidade da criança fazer escolhas e ser curiosa.

7- Pressão: alimentar a cultura da pressa, do ter que fazer no tempo e ritmo do adulto e não da criança, aparecendo no exato momento em que a mesma está prestes a dominar o que faz.

Portanto, os melhores alimentos são aqueles que oferecem oportunidades para que as crianças experimentem suas habilidades naturais, descobrindo os próprios talentos e avançando em direção à sua vocação.

Pais e educadores são pontes para facilitar o caminho das crianças no processo de desenvolvimento da criatividade, quando respeitam o ritmo delas, evitando comparações entre filhos ou alunos.

Quatro ferramentas são essenciais para isto:

1- Fé na própria criatividade: saber que possui um poder interior sempre à sua disposição, fortalecer a presença da criatividade em sua vida.

2- Ausência de julgamento: silenciar a voz interior da autocrítica que censura as idéias antes que elas aconteçam. Calar a tagarelice negativa. Meditar por alguns minutos é um recurso poderoso.

3- Observação precisa: contemplar o mundo com a admiração de uma criança e a precisão de um cientista.

4- Fazer boas perguntas: ter vontade de fazer perguntas para si mesmo.

Você tem indicações de mais alimentos saudáveis?

Pin It on Pinterest

Share This